Aprenda sobre a Bíblia

Início » 2016 » dezembro

Arquivo mensal: dezembro 2016

A prioridade que pode mudar a sua vida

Por Diego Nascimento*

Esse é o primeiro artigo do ano de 2017 e foi especialmente preparado para você. É bem provável que entre amigos e familiares a “Festa da Virada” contou com abraços, uma deliciosa ceia e muitos planos para o futuro. Melhorar o condicionamento físico, concluir o tão sonhado curso ou adquirir a casa própria contemplam a lista de famosos objetivos para o ano vindouro. E na vida espiritual? Há algo a se fazer?

A comunhão com Deus exige uma jornada de dedicação ao estudo da Palavra e, também, à oração. A pós-modernidade tem facilitado por um lado e dificultado por outro. A tal era da informação tem preenchido nossa mente com coisas que não levam a lugar algum. Aparentemente deixamos de ser seletivos sobre o que ler, assistir e ouvir e, ao aceitar qualquer coisa, não vemos o relógio girar. Essa situação traz sérias consequências ao tempo que poderíamos investir em atividades na Igreja, devocionais e evangelismo. Temos nos tornado mais espectadores do que personagens ativos na semeadura da Mensagem.

Sou totalmente a favor dos sonhos. É por meio deles que projetamos um cenário “lá na frente” e fazemos de tudo para torná-lo uma realidade. Mas em meio aos passos em busca de bons resultados precisamos estabelecer prioridades. O Evangelho de Mateus, capítulo 6, verso 33a diz: “Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça…” Se a Bíblia é nosso livro de regra de fé e prática está mais do que claro que o próprio Cristo nos ensina sobre o que deve liderar nossa agenda diária. É uma questão de testemunho e zelo para com o nosso Senhor.

Somos diariamente impulsionados a querer mais, mais e mais. A conquista de bens materiais e prestígio é uma consequência de um trabalho sério e produtivo; pelo menos deveria ser assim. No livro de Marcos, capítulo 8, verso 36, Jesus diz: “Pois, que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma? ” Entende a importância de termos todo o cuidado com nosso crescimento espiritual?

Que 2017 seja um período de somas em sua vida. Aproveite cada instante ao lado de sua família e amigos e lembre que há limites e o tempo certo para tudo. Faça chuva ou faça sol jamais abra mão de ter Deus como prioridade em suas ações. Tem gente te observando!

  • Diego Nascimento é presbítero da I Igreja Presbiteriana de Lavras. Para conhecer outros textos acesse diegonascimento.com.br
Anúncios

Os Reis Magos e o corte de cabelo

Por Diego Nascimento*

Hoje acordei cedo para cortar o cabelo. Como sempre ocorre nos dias que antecedem o Natal a temperatura cai e o vento frio é companheiro garantido. Estacionei o carro e caminhei cerca de 300 metros até o cabeleireiro. Ao chegar percebi algo que a meteorologia não explicaria: uma mudança repentina no clima. Quer entender o motivo? Então continue essa leitura.

O calor que se espalhou pelo salão não era fruto do sol mas do coração. Fui saudado por um homem que por meio do sorriso demonstrava que uma alegria sem igual dominava seu cotidiano. Durante a espera e no período em que ele estava sendo atendido, aquele senhor simples nas palavras mas douto no acolhimento explicou a razão de tanta festa: Jesus. Em poucos minutos tive a chance de ouvir um dos testemunhos de transformação mais tocantes onde as trevas deram lugar a luz. Antes de ir embora ganhei um abraço e uma lição de incentivo sem igual.

A Bíblia diz que os Reis Magos caminharam muito até chegarem ao local de nascimento de Cristo. O livro de Mateus, capítulo 2, versos de 1 a 3 diz: “E, tendo nascido Jesus em Belém de Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do oriente a Jerusalém,
dizendo: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? porque vimos a sua estrela no oriente, e viemos a adorá-lo. E o rei Herodes, ouvindo isto, perturbou-se, e toda Jerusalém com ele.” Como é claramente visto, os Reis Magos estavam felizes pela chegada do Rei dos reis. O oposto circulava no coração de Herodes, que por orgulho, soberba e arrogância não queria perder o trono.

Qual a relação entre o homem que encontrei no cabeleireiro e os Reis Magos? A importância do nascimento de Jesus e seu plano de salvação. Ambos os personagens caminharam muito para encontrar o Salvador: os Reis Magos viajaram longe seguindo a estrela; já meu novo amigo passou por várias tribulações e provações até que foi alcançado pela graça do Filho de Deus.

E você? Ainda contagia as pessoas ao seu redor com o amor ensinado por Cristo?

Pensemos nisso!

Com as bençãos de Deus,

Equipe EBD

I Igreja Presbiteriana de Lavras (MG)

  • Diego Nascimento é presbítero da I Igreja Presbiteriana de Lavras. Para conhecer outros textos acesse diegonascimento.com.br

A Bíblia, o Natal e a Coca-Cola

Por Diego Nascimento*

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.” Isaías 9:6

A Guerra Civil norte-americana traz histórias dramáticas e outras que exibem um claro exemplo de superação. Foi nesse cenário que o farmacêutico John S. Pemberton, residente da cidade de Atlanta, Geórgia, iniciou os estudos de folhas de árvores vindas da América do Sul. Tempos depois, com misturas aqui e ali, Pemberton criou uma bebida que mais tarde se tornaria um dos maiores símbolos mundiais associados ao consumismo.

Se engana quem acha que o farmacêutico ficou milionário. Morreu na penúria e viciado em morfina. Anos antes havia vendido a fórmula para o empresário Asa Griggs Candler, metodista devoto que via no trabalho uma forma de louvar a Deus; foi ele o responsável por criar a Coca-Cola Company. Não demorou muito para que os especialistas em marketing desenvolvessem ferramentas criativas para o posicionamento do produto, associando a bebida refrescante aos momentos de felicidade da vida. Mas o artigo de hoje não contará a história completa desse tão bem-sucedido produto que podemos encontrar facilmente em sua geladeira. A abordagem de hoje trata de um personagem originado dessa empresa: o Papai Noel da forma como o conhecemos.

As campanhas natalinas da Coca tiveram início nos anos de 1920. O que pouca gente sabe é que a figura do bom velhinho de barba branca foi inspirada em Saint Nicholas (São Nicolas) que, ao contrário do que se vê hoje, era magro e usava uma roupa verde. O cartunista Haddon Sundblom, de Michigan, desenvolveu um novo formato ao personagem adicionando um rosto paterno e a cor vermelha ao uniforme. Teve assim início o famoso Papai Noel que marcou a infância de muitos por meio de comerciais de TV, revistas, jornais, outdoors, etc… Agora pense comigo: será que as intensas campanhas de marketing tiveram uma influência tão profunda nas mentes humanas a ponto de ofuscar a celebração do nascimento de Cristo?

O livro de João, Capítulo 3, verso 30, traz o seguinte versículo: “Convém que ELE cresça e eu diminua. ” Esse ensinamento pode ser aplicado em todas as áreas de nossas vidas, incluindo a pessoal e profissional. Não estou dizendo que a Coca-Cola tenha uma culpa isolada pela disseminação da crença no Papai Noel, pelo contrário, devolvo a nós, cristãos, a responsabilidade de proclamar pelos quatro cantos do mundo a “vinda do filho do homem. ” – Mateus, capítulo 24.  A começar por nossas crianças precisamos ensinar, desde cedo, o real sentido do Natal. Cabe a nós fazer o contra ponto daquilo que vem de fora e aos poucos invade nossos corações.

Entre embrulhos e luzes decorativas, façamos brilhar a maior estrela de Dezembro: Cristo Jesus, nosso Senhor!

Com as bençãos de Deus,

Equipe EBD

I Igreja Presbiteriana de Lavras (MG)

  • Diego Nascimento é presbítero da I Igreja Presbiteriana de Lavras. Para conhecer outros textos acesse diegonascimento.com.br

Um presente impagável

Por Diego Nascimento*

O Natal se aproxima e as decorações no comércio já demonstram a necessidade de compra e venda para o bem-estar da economia. O vermelho e o branco são destaque em ornamentações, cartazes, luzes, roupas; até monumentos históricos espalhados pelo mundo recebem uma iluminação ao estilo do Papai Noel. Em meio a todo esse clima de irmandade faço a seguinte pergunta: se essa data é tão especial por que o verdadeiro significado deixou de ser uma prioridade?

No livro de João, capítulo 15, versículo 12, Cristo diz que “O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei. ” O mundo perdeu a noção do “se importar” com o próximo. Vivemos em um ritmo de comodismo e esfriamento que ganha até mesmo dos gélidos termômetros do Polo Norte. O Natal celebra o princípio do maior evento de amor de Deus para conosco: a vinda de Jesus como Salvador. O vermelho tão celebrado em 25 de dezembro seria, mais tarde, a cor do sangue derramado na Cruz ali mesmo no calvário.

Comprar e receber presentes fazem parte dos pilares da socialização, além de representarem a importância das relações e o significado da família e da amizade. Mas nada disso chega perto do amor de Cristo por cada um que lê esse texto agora. O nascimento do Salvador marca a trajetória do presente impagável, do amor incondicional e sacrificial. Pena que muitas crianças têm crescido sem saber desse tão incrível plano de Deus para todos nós.

Termino convidando você para o seguinte desafio: ao entrar no ritmo das decorações natalinas tão comuns em seu bairro, que tal contar o real motivo de nossa celebração? O melhor de tudo é que essa missão pode ser cumprida dentro de sua própria casa. Ore e ofereça aos que estão à sua volta os ensinamentos Daquele que é o mesmo ontem, hoje e sempre!

Com as bençãos de Deus,

Equipe EBD

I Igreja Presbiteriana de Lavras (MG)