Início » Artigos, estudos e dicas » Finanças: orientação bíblica para os casais cristãos

Finanças: orientação bíblica para os casais cristãos

Finanças: orientação bíblica para os casais cristãos 

Por Presbitero Francisval de Melo Carvalho

 

Estudo baseado nas revistas:

Pastoreando a família  – SOCEP – Volume VII

Aconselhamento cristão – SOCEP – Volume XI

A sociedade do 3° milênio – DIDAQUÊ – Volume XLI

 

1.INTRODUÇÃO: 

 

Não resta a menor dúvida de que a área financeira é uma das mais complicadas na vida familiar. Boa parte dos conflitos entre casais surge por uma visão ou posicionamento inadequado sobre a vida financeira no lar. Vivemos numa sociedade consumista em que somos pressionados a nos equipararmos a um padrão de vida que, na maioria das vezes, não temos condições de acompanharmos.

O conceito de felicidade para muitas pessoas está alinhado com a possibilidade de se comprar ou não determinadas coisas, e quando frustradas em seus intentos manifestam toda a sua ira sobre aqueles que julgam culpados por isso.

Os papéis de marido e mulher, dentro da sociedade moderna, têm-se modificado nos últimos tempos, levando a mulher para o trabalho fora do lar e alterando a forma como o orçamento doméstico é administrado, gerando conflitos.

Cada pessoa encara o dinheiro e os bens de modo diferente. Para muitos significa: sucesso, poder, segurança emocional; e lutam de forma incansável por obtê-lo. Outros pouca importância dão ao assunto. Os dias estão cada vez mais difíceis com a crescente crise de empregos, quando muitos chefes de família passam meses desempregados; também nossas famílias manifestam crescente necessidade de novas coisas.

Como podemos ver, a tensão por causa do dinheiro é fonte de problemas constantes, que necessitam de tratamento adequado. Diante do exposto, o que a Bíblia nos ensina a respeito do dinheiro ?

2. O POSICIONAMENTO BÍBLICO SOBRE O DINHEIRO:

a) Deus é proprietário de todas as coisas – Sl 24:1. Logo, nós possuímos coisas, mas Deus é dono delas. Nós ganhamos dinheiro, mas é Deus quem nos capacita. Nós somos de Deus, portanto tudo que temos é Dele.

b) A vida do homem não consiste na abundância de bens que ele possui e Jesus chama de louco aquele que coloca as riquezas no centro de sua vida  – Lc 12:13-21.

c) Deus tem cuidado com sua criação e tem ainda maior cuidado para com aqueles que o buscam, suprindo-lhes todas as necessidades na medida que Lhe aprouver – Mt 6:25-34; Fp 4:19. Precisamos buscá-lo de forma correta – Mt 7:7-12

d) O acumular não é incentivado, mas sim o repartir e o amor às riquezas torna-se um grande perigo para as nossas almas – Mt 6:19-21; At 20:35 e I Tm 6: 3-19.

É necessário que nossa segurança esteja depositada nas mãos de Deus, para que as circunstâncias não nos tragam tristezas e sofrimentos.

3. ATITUDES BÍBLICAS NA VIDA FINANCEIRA:

A Bíblia nos chama de despenseiros e requer que tenhamos uma qualidade: fidelidade. Isso implica em algumas atitudes de vida:

a) Exige trabalho – II Ts 3:7-12 e Pv 6: 6-11. Temos a promessa de que Deus suprirá cada uma de nossas necessidades; e isso é verdadeiro. Contudo, isso não nos concede ficarmos parados, olhando para o céu, esperando que chovam as bênçãos de Deus sobre nós. “Se alguém não trabalhar, também não coma”.

b) Exige planejamento –Mt 25:14-30; Pv 6:6-11; Lc 14:27-30

Poucas são as famílias que têm um orçamento familiar; que planejam como, onde e como investir; que se preocupam em ter alguma reserva; que ao iniciar uma obra medem os recursos, verificam a extensão do serviço e a capacidade para enfrentá-lo. Por falta de planejamento, de um orçamento – simples que seja – muitos entram em financiamentos, cartões de crédito, nas mãos de agiotas, e quando percebem já afundaram tanto, que é quase impossível sair de tal situação.

c) Administradores

Somos apenas administradores (mordomos). O entendimento correto dessa realidade muda completamente nossa atitude para com o dinheiro. A aplicação dos recursos não depende de nós, mas da vontade de Deus, por isso devemos sempre buscar a sua orientação.

 

4. ERROS BÁSICOS QUE IMPEDEM O SUCESSO ECONÔMICO:

a) Contrair dívidas. A Bíblia nos diz que: “O rico domina sobre o pobre, e o que toma emprestado é servo do que empresta” – Pv 22:7. Ao contrairmos uma dívida, assumimos uma posição de servo em relação ao nosso credor, pois temos que trabalhar para ele, isto é, o fruto do nosso trabalho é seu, para pagar a nossa dívida. “A ninguém fiqueis devendo cousa alguma, exceto o amor… Rm 13:8

b) Gastar mais do que ganha.  Isto significa administrar levianamente os recursos que Deus nos dá.  Um adágio popular diz: “Quem quiser administrar seus bens corretamente, não pode se perguntar aonde foi parar o dinheiro; ele é que tem de dizer para onde o dinheiro deve ir”.  Existem pessoas que tem o hábito de comprar compulsivamente, mesmo sem ter necessidade do que está sendo adquirido. O ato de comprar indiscriminadamente é uma doença chamada de oneomania e estudos mostram que as mulheres são mais susceptíveis a essa doença ou distúrbio no controle dos impulsos.  Pessoas que apresentam esse comportamento necessitam de tratamento evitando assim comprometimento da situação financeira do indivíduo ou família.

c) Vida centralizada no dinheiro. O mundo vive

em função do dinheiro e de possuir bens materiais. Por isso Jesus recomenda: “Tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza; por que a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui” -  Lc 12:15.

d) O desejo de ficar rico depressa. “Correr atrás das riquezas” é o esporte mais praticado hoje. Cuidado com os “Negócios da China” que oferecem lucros fáceis e altos ganhos. Pv 28: 20 e 22.

e) Não praticar a benevolência. A avareza é sempre acompanhada pela mesquinharia. O desejo de possuir para si, fecha a porta para a necessidade do outro. A Bíblia afirma que  “mais bem-aventurado é dar que receber” – At 20:35; Lc 6:38. Esse princípio de dar e receber atua em três áreas: Deus – Pv 3:9-10 e Ml 3:10; Os irmãos na fé – Gl 6:10 e At 2:42-47 e ao pobre necessitado – Pv 14:21,31; 19:17. Há muitos crentes que são infiéis ao Senhor, na área financeira e por isso vivem sempre em dificuldades – Sl 37:5.

f)  A desonestidade. A desonestidade no campo financeiro é prática corrente e aprovada em nossa sociedade. Ser honesto é um defeito hoje. Cumpre-se a profecia de Ruy Barbosa de que um dia o homem teria vergonha de ser honesto. A Bíblia diz: “trabalhar por adquirir tesouro com língua falsa é vaidade e laço mortal” – Pv 26:1 e Pv 10:2. A desonestidade com certeza será punida.

g) A vida exclusivamente no trabalho. A Bíblia diz no Salmo 128 que a perspectiva de Deus para a felicidade humana é: Deus em primeiro lugar, a família em segundo, e o trabalho em terceiro. “Não te fatigueis para seres rico”; pois, “O rico e o pobre se encontram; a um e a outro faz o Senhor”- Pv 23:4; 22:2. Não há sucesso no trabalho que compense a destruição de sua família e do seu relacionamento com Deus.

5. CONCLUSÃO

Precisamos estabelecer um sistema de valores baseados na Bíblia  para  que a área financeira não se torne um problema grave em nossas vidas. A Bíblia nos ensina em Lucas 14:27-30 que o planejamento em qualquer situação da vida é por demais importante. Na área financeira , não é diferente, ainda mais na atual conjuntura onde somos “doutrinados” a consumir.

About these ads

Em LETRAS GRANDES

Artigos, estudos e dicas
março 2013
S T Q Q S S D
    abr »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: